Rio de Janeiro – 6 locais “lado B” para conhecer

Rio de janeiro lado B

O Rio de Janeiro esconde locais muito legais e um pouco longe dos olhos do turista comum.

Nesse post vamos ver 6 locais “lado B” da cidade para conhecer se você é como eu, que gosta de locais pouco ou nada turísticos.

1. ILHA DA GIGÓIA

Já ouviu falar? não? Essa ilha é um pedaço da Barra da Tijuca, mas diferente da Barra que você conhece. Carros , condomínios, verticalização, lojas e shoppings não fazem parte do local. Para chegar apenas barco e lá, caminhar mesmo.

O que fazer na ilha: Se você não gosta de observar detalhes e pessoas, meia hora está pra lá de bom mas, se você gosta de andar, observar sem pressa, é uma boa pedida. Observar as ruelas, detalhes das casas e entrar nos inúmeros bares com vista para lagoa, ou um passeio ecológico.

Foto: Expedia

A Ilha da Gigoia é um daqueles tesouros que muitos cariocas desconhecem, mas isso não significa que ela fique vazia aos finais de semana e feriados. Se você for lá num desses dias, é recomendável chegar cedo ou tentar reservar mesa pra não ficar frustrado. E outra coisa, leve repelente!!

Como chegar: Se você ja está na Barra, meio caminho andando e se não estiver, basta pegar metrô até estação Oceânica e caminhar ate a Av. Armando Lombardi altura 350 (se você gosta de caminhar ou pode pegar uber). Alí próximo ficam as balsas que levam até a ilha.

O vídeo dá uma ideia do local, mas não de preços. Preços desatualizados:

2. ILHA PRIMEIRA

Localizada atrás da Gigóia, na Barra da Tijuca, o local é muito mais tranquilo e residencial do que a ilha famosa. Pelas pequenas alamedas muitas casinhas de capa de revista, com lindos jardins, bounganvilles e árvores. Visite também o Bar do Cícero para uma experiência mais local.

3. BAIRRO DO ESTÁCIO

Um tour maravilhoso pelo bairro do Estácio – Berço do samba!

Ao longo dos séculos de transformações vividas em seus território, o Rio de Janeiro teve sempre no Estácio um ponto de referência para seus projetos urbanísticos. O bairro foi capaz de resistir a todas as mudanças, acolheu populações inteiras e mudou o destino cultural do Brasil ao se tornar berço das escolas de samba.

Definido como grande encruzilhada de vitalidade única, marcada pelo encontro dos diferentes e dos excluídos, onde o sagrado e o profano coexistiam e eram terreno fértil para novas ideias. Vamos passear por lugares que têm muito a contar, como o GRES Estácio de Sá, descobrindo os segredos da primeira escola de samba e, ao final do passeio, uma roda na praça irá nós ajudar a saborear o verdadeiro “samba de sambar”

Pontos de Interesse:

  • Largo do Estácio
  • Primeira Igreja Batista da America do Sul (visita interna)
  • Estátua do Ismael Silva
  • Portal da Casa de Correção Imperial
  • G.R.E.S Estácio de Sá (visita interna)

Veja aqui como agendar seu tour

4. VILA DO LARGO DO MACHADO

Vila do Largo, no Largo do Machado, é ponto de artistas, ateliês, cafeterias, bares e coletivos de jovens empreendedores. A antiga vila foi modernizada com um bonito projeto arquitetônico que lembra a Europa. Não é a toa que está sempre cheia principalmente de estrangeiros radicados no Rio. 

Durante a semana, aprecie um café no Café Secreto. O lugar fica aberto de segunda a sexta, de 10h às 18h, e em alguns finais de semana costumam acontecer eventos de gastronomia, arte e até chorinho!

Endereço: Rua Gago Coutinho , 04 – Laranjeiras

5. RUA BARÃO DE GUARATIBA

Atrás da Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro, fica um canto do Rio que pouco conhecido. É a Rua Barão de Guaratiba cujas ruas de paralelepípedos foram abertas em 1875, homenageando o barão do mesmo nome, na verdade Joaquim José Ferreira, benfeitor da Santa Casa. Hoje, por ser um local tranquilo e acessível, é bem cobiçado por estrangeiros e profissionais liberais e artistas que acabam fazendo de suas casas também seus locais de trabalho.

Passear pelas suas ruas é como estar em outra cidade. O local preserva construções centenárias que se misturam com prédios de várias épocas. Uma dica é subir pelo plano inclinado na Rua do Russel, visitar a belíssima igreja de mais de 250 anos e depois sair andando pelas ruelas descendo até o Catete. Assim, evita de subir as íngremes ladeiras do local. O lugar costuma ser seguro.

Uma parada obrigatória é no Britan Bar, mais conhecido como Bar do Zé que tem ares de mercadinho de interior e é atendido pelos próprios donos, há anos.  É um antigo armazém/bar constantemente usado para gravação de filmes, seriados e novelas e fica logo no início da rua Barão de Guaratiba, nos fundos do Colégio Zaccaria.

Foto: O Globo

6. SALÃO PERSA NO SUBSOLO DO THEATRO MUNICIPAL

Localizado embaixo do Theatro Municipal, o Salão Assyrio comporta o Restaurante Assyrio, que chama a atenção por sua decoração persa, babilônica e assíria.

O Salão foi construído junto com o Theatro Municipal e em sua badalada inauguração contou com a presença do então presidente da República, Nilo Peçanha. Olavo Bilac, o grande poeta, também se fez presente neste dia.

Antes de ser restaurante, o Salão abrigou os grandes bailes do Theatro Municipal, chegou a ser um cabaré, onde ninguém menos que Pixinguinha tocava com seu conjunto Os Oito Batutas, além de ter sido, também, um museu do Theatro. FACEBOOK

Já conhecia esses locais “lado B” do Rio?

Veja passeios pela cidade maravilhosa!

Acomodações pela cidade do Rio de Janeiro? Clique no mapa



Booking.com

Você também poderá gostar de:

BOTAFOGO – O LADO NÃO TURÍSTICO DO RIO

PALÁCIO DO CATETE E SEU JARDIM

6 COISAS PARA FAZER EM SANTA TERESA

Gostou do post? Compartilhe!

.

Deixe seu comentário

error: Conteúdo protegido !!
Rolar para cima