7 histórias assustadoras de Buenos Aires

Por

Buenos Aires é uma metrópole animada, mas tem um lado assustador associado ao seu passado.

Neste post vamos ver alguns locais e saber de algumas histórias assombradas pela cidade para você conhecer quando for.

Na história da cidade temos partes que foram construídas em cima de cemitérios antigos, soldados que morreram nas ruas de San Telmo enquanto lutavam contra os ingleses, torturas ocorreram em prisões secretas durante a Guerra Suja, histórias de assassinatos, prédios com histórias meio obscuras e uma atração turística central que é um cemitério.

Aqui 7 locais assombrados mais famosos de Buenos Aires e algumas histórias:

1. CEMITÉRIO DE CHACARITA

O segundo maior cemitério da cidade, foi construído em 1871 em resposta à epidemia de febre amarela, a qual assolava a cidade , e trens cheios de cadáveres eram trazidos para cá diariamente. Particularmente eu acho esse cemitério mais bonito e ao mesmo tempo mais tétrico do que o de Recoleta, pelo motivo de ter muito menos turistas, túmulos abandonados, corredores que dão medo e outros sem absolutamente ninguém.

No cemitério você encontra o túmulo de Carlos Gardel ( Rua 33 ), o fundador da Força Aérea Argentina, Jorge Newbery, Gustavo Ceratti, cantor da banda de rock argentina Soda Stereo e outros políticos e artistas.

As histórias de fantasmas associadas ao cemitério incluem o motorista de táxi fantasma com a licença RIP 666 e aparições fantasmagóricas do piloto de carros de corrida, Juan Manuel Fangio, que também está enterrado aqui.

Então, antes de entrar em qualquer táxi na frente do cemitério, tenha certeza que a placa nao é 666 e que o motorista tenha uma aparência “de vivo!” 🙂

Acomodações em Buenos Aires? Veja mais:

2. A ESTAÇÃO DE METRÔ PERDIDA

A linha A do metrô de Buenos aires, a mais antiga, inaugurada em 1913, é cheia de histórias. Uma delas é que a rota teve que ser mudada em sua construção, devido terem encontrado um cemitério subterrâneo no caminho e que até os dias de hoje, há relatos de verem o fantasma de uma noiva pelas estações, fantasmas de operários soterrados, mas a mais intrigante é a estação perdida.

Alguns acreditam que se trata das Estações Pasco Sur e Alberdi, as quais foram desativadas no século passado, mas ainda consegue-se ver andando pela linha A. Há relatos de usuários do metrô que dizem ter visto uma estação iluminada com pessoas vestidas de roupa de época…

3. A MULHER QUE FOI ENTERRADA VIVA

A horrível verdade foi então revelada no cemitério de Recoleta: Rufina Cambaceres havia sido enterrada viva e tentou abrir o caixão em pânico.

Ela havia sofrido um ataque de cataplexia, que causou um estado de coma, levando os médicos a acreditarem erroneamente que ela estava morta. Tal estado, segundo especulações, foi devido a não declaração de amor de Hipólito Yrigoyen, futuro presidente da Argentina na época (1902).

Na verdade, ela morreu no caixão de um ataque cardíaco, por falta de ar e pânico.

Quem visitar o local de descanso de Rufina verá que há uma estátua Art Nouveau em tamanho natural da jovem, com a mão na porta de seu próprio mausoléu, uma homenagem familiar à ‘menina que morreu duas vezes’.

Foto: Clubetremfantasma

4. GALERIAS PACÍFICO

Em 1990, quando as Galerias Pacífico estavam sendo reformadas no shopping que é hoje, os operários da construção civil descobriram 15 pequenas celas com nomes e slogans gravados nas paredes. Foi feito um apelo oficial ao governo pedindo uma investigação sobre a descoberta. Nesse ponto, as autoridades municipais confirmaram que, durante a Guerra Suja, funcionou o sinistro ‘Centro Clandestino de Detenção e Extermínio’ (CCDE). Mas, com as evidências destruídas após um acidente e a investigação encerrada, a história sombria das Galerias Pacífico nunca recebeu muita atenção.

O caso ressurgiu em 1994, quando o cinegrafista português Arturo Santana veio filmar um ponto publicitário para o shopping. Ele já havia testemunhado que enquanto trabalhava em Buenos Aires em 1976, ele foi encapuzado, algemado, sequestrado na rua e forçado a entrar em um Ford Falcon (o carro favorito do regime militar) e levado para um porão úmido em algum lugar no centro da cidade por cinco dias.

Quando voltou a Buenos Aires com sua equipe para filmar o shopping, ele pegou a escada rolante para o andar inferior da Galerías Pacífico e começou a ter uma sensação estranha. Ao olhar para trás da câmera, ele reconheceu ladrilhos distintos – e remotamente familiares – no chão e de repente ficou fraco.

Foi o mesmo local onde foi detido em 1976 antes de ser transportado para outro campo de tortura.

O shopping não tem interesse em destacar esta parte da história do belo edifício, mas há quem diga que à noite na cave das Galerias Pacíficos, quando a multidão vai embora, as correntes de ar frio tomam conta e se pode sentir a presença triste e pesada daqueles que supostamente perderam a vida na agora animada meca das compras em Buenos Aires.

Texto adaptação WanderArgentina

5. O OBELISCO

O marco mais emblemático da cidade é assombrado pelo espírito de um trabalhador caído enquanto o monumento estava em construção na década de 1930. O obelisco foi atingido por um raio, fazendo com que um trabalhador perdesse o equilíbrio e caísse para a morte. Dizem que até hoje, em noites de tempestades, você ainda pode ouvir o grito do trabalhador caindo para a morte …

Acomodações em Buenos Aires? Veja mais:

6. O PALACIO DE LOS BICHOS

Mansão de 5 andares localizada no bairro Villa del Parque ( Campana, 3220), foi construída século XX pelo engenheiro Muñoz González a pedido de um aristocrata italiano, que desejava dar a casa a sua filha e genro como presente de casamento. Até há alguns anos as paredes da construção eram decoradas com figuras de animais grotescos, inspiradas nas gárgolas de uma catedral gótica.

A construção terminou antes do casamento e uma grande festa de casamento foi realizada ali, com muita pompa e um baile de época. Ao final da festa os noivos partiam para sua lua de mel, com seu pai e os convidados saudando o casal das sacadas da casa, que fica a apenas 30 metros da linha do trem. Foi quando os convidados observaram horrorizados o trem atropelar a carruagem que transportava os noivos, matando-os na hora.

O prédio fixou muito tempo desabitado, tendo depois sido uma confeitaria e hoje um prédio de apartamentos.

7. A CASA DE LUCA PODREN

No endereço Alsina 451, San Telmo, encontra-se a casa do Italiano que foi morar em Buenos Aires para escapar do vício da heroína. Fundou a banda Sumo, livrou-se do vício, mas morreu de cirrose hepática em 1987, aos 34 anos de idade.

Um dos edifícios mais antigos da cidade, a antiga morada de Prodan agora é um bar chamado Lo de Luca, que só abre aos sábados após meia noite.

Prodan, que se dizia clarividente, havia mencionado à imprensa muitas vezes em vida que ocorria atividade paranormal nesta residência. Ele disse que ouviu correntes sendo raspadas pelo chão e sentiu figuras sombrias espreitando nos cantos. Os comentários foram cancelados e atribuídos a muito gim por jornalistas e pelo público, mas vinte anos depois, quando os trabalhadores entraram no porão anteriormente fechado, eles descobriram células semelhantes a masmorras contendo esqueletos humanos que datavam da era colonial.

E você..conhece mais algum local assombrado em Buenos Aires? Conte nos comentários!

Veja passeios por Buenos Aires:

Procurando acomodações por Buenos Aires? Veja mais:

Gostou do post? Compartilhe!

.

Sem comentários ainda

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code