Slow Food – Saiba mais sobre o movimento

Por
slow food o que é

Muito se fala sobre slow food. Mas o que é realmente esse movimento?

O Slow Food foi criado por Carlo Petrini – Itália, e um grupo de ativistas, na década de 1980, com o objetivo inicial de defender as tradições regionais, a boa comida, o prazer gastronômico e um ritmo lento de vida.

Na Itália, nasce oficialmente em 1986 o Slow Food, após uma manifestação em reação à tentativa de construção de um McDonald’s na Piazza di Spagna, no coração de Roma. Com propósito de ir de encontro à toda massificação e industrialização dos alimentos e o ato de comer.

Desde então, o movimento evoluiu, envolvendo uma abordagem inclusiva do alimento, reconhecendo os fortes vínculos entre prato, planeta, pessoas, política e cultura. Hoje, o Slow Food representa um movimento global envolvendo milhares de projetos e milhões de pessoas, em mais de 160 países.

Lembrando que Slow Food não tem a ver com gourmetizações atuais e nem movimento fitness exacerbado no Brasil, mas tem sim a ver com qualidade e educação do gosto.

Fonte: Organomix

A nossa perda de habilidades sensoriais como paladar e olfato pioraram muito nos últimos anos devido ao ritmo de vida que levamos nas grandes cidades, não havendo tempo para o “ato de preparar e comer mais prazeroso”.

Por esta razão, um elemento vital da filosofia do Slow Food é o re-treinamento dos sentidos e da percepção. Especialmente os jovens estão correndo sérios riscos de perder a noção do que significa comer, assim como sua ligação com a região e o relacionamento com a sazonalidade.

Segundo esse movimento, o alimento deve ser:
bom: tão gostoso que merece ser saboreado com calma, fazendo de cada refeição uma pausa especial do dia;
limpo: bom à saúde do consumidor e dos produtores, sem prejudicar o meio ambiente, nem os animais;
justo: produzido com transparência e honestidade social e, de preferência, de produtores locais.

Fuiporaiblog – Mercado Ballarò – Palermo – Sicília

Comer é fundamental para viver. A forma como nos alimentamos tem profunda influência no que nos rodeia – na paisagem, na biodiversidade da terra e nas suas tradições. Para um verdadeiro gastrônomo é impossível ignorar as fortes relações entre prato e planeta. Além disso, melhorar a qualidade da nossa alimentação e arranjar tempo para a saborear, é uma forma simples de tornar o nosso cotidiano mais prazeroso. Esta é a filosofia do Slow Food. Veja aqui o Manual Slow Food em PDF, se você quiser ler mais sobre o assunto.

Fuiporaiblog – Mercado São José – Recife

O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção, os produtores.

Slow Food opõe-se à tendência de padronização do alimento no Mundo, e defende a necessidade de que os consumidores estejam bem informados, se tornando co-produtores.

É inútil forçar os ritmos da vida. A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas.

Carlo Petrini, fundador do Slow Food

Um blog bem legal para visitar é o da Neide Rigo, o Come-se. Ela dá dicas bem brasileiras e interessantes de como fazer o melhor do que jé temos em receitas bem criativas.

E você? Quer fazer parte desse movimento também? As dicas a seguir são ótimas para colocar o slow food no nosso dia-a-dia de um jeito prático e bem divertido:

-Se tiver um cantinho para horta, faça uma em casa 

Alimentos fresquinhos têm um sabor super especial e fazem muito bem à saúde. Vasinhos são boas soluções pra quem não tem muito espaço;

-Conheça melhor o alimento que vai pra sua mesa

Procure saber quem são os produtores, se eles trabalham com produção limpa (com alimentos que não prejudicam a saúde do consumidor nem os trabalhadores, não poluem o meio ambiente, nem exploram os animais durante a produção);

-Prefira comprar alimentos de produtores locais

Eles gastam menos combustíveis no transporte, e com isso ajudam a diminuir a poluição. Além disso, você incentiva o crescimento dos pequenos agricultores;

-Faça seu dia ficar cheio de momentos especiais

Isso é mais fácil do que parece, até porque o prazer e a felicidade costumam estar coisas mais simples da vida. Então, tente se “desligar” da  correria por alguns instantes e reserve um tempo para si, para cultivar o bem-estar, pensar em coisas boas. Uma ótima oportunidade para isso é a hora das refeições: procure comer em lugares calmos, em ambientes tranquilos o suficiente para te deixar “pensar positivo” enquanto saboreia uma comida gostosa, saudável e justa;

Fonte: Mãe Terra

Gostou do post? Compartilhe com amigos nas redes sociais:

.

Sem comentários ainda

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code